Skip to content
Menu

É normal, e até saudável, que ambos os parceiros tenham um ritmo sexual diferente, um com mais desejo que o outro. Tal diferença pode ser “negociada” de uma forma positiva através de diálogo, de jogos sexuais descompromissados com o coito, de fuga de rotina e do compartilhamento de fantasias. Porém, não é raro que as pessoas procurem o terapeuta sexual com queixa de distúrbio de frequência de relacionamento sexual, no qual um dos parceiros apresenta desejo muito maior que o outro, levando a desarmonia conjugal, que também deverá ser trabalhada.

É similar para os dois, porém com algumas diferenças. Muitas pessoas acreditam que a mulher precisa de uma razão para fazer sexo, enquanto o homem apenas de um lugar. Na verdade, a maioria das mulheres depois de um tempo de relacionamento com a mesma pessoa, perde o desejo espontâneo, o desejo pela falta de sexo, muito comum entre homens. O desejo sexual feminino é quase sempre desencadeado pela intimidade e a partir de estímulos ele, o desejo,  pode ser despertado pelas sensações de prazer durante a brincadeira ou pelos jogos sexuais e pelo envolvimento. Muitas mulheres não têm desejo pela falta de estímulo apropriado – fantasias, jogos, leitura, preliminares, etc -, vindo a aparecer com a intimidade sexual – o grande motor da sexualidade feminina.

O desejo sexual espontâneo feminino tende a aparecer nas situações de novidades de parceiros, no reatamento de um relacionamento e naquelas que não tomam “pílula” ou não usam nenhum outro método contraceptivo que alterem seu ciclo menstrual natural.

Veja o vídeo explicativo sobre Transtorno do desejo e excitação feminino:

Como o casal pode explorar mais a vida sexual?

Isso ocorreria caso o casal dê abertura as suas fantasias – mesmo que as coloque em prática apenas entre as quatro paredes, de modo fictício, permitindo explorar regiões do corpo erógenas que antes desconheciam ( e são muitas, você se surpreenderá!). Explorar situações ou imaginações, pensamentos que já excitaram são boas iniciativas.

Qual a orientação para que o casal equilibre a quantidade de relações entre os dois?

Quando há uma disparidade entre o desejo sexual entre o casal – que pode ser todos os dias para alguns homens e, estatisticamente, duas relações para as mulheres – o ideal é que o casal encontre um equilíbrio entre as partes, que busque estímulos para o par que tem menor desejo ou busque ajuda profissional para entender a diferença, quando causa sofrimento.

*Importante frisar que, mesmo com as orientações acima, caso a disfunção (de desejo, excitação ou orgasmo) mantenha-se, procure um profissional especializado. 

Deixe um comentário